Diário de Um Glutão sem Glúten – 29/04

Aí vamos nós… 23 dias quase totalmente sem glúten e os resultados são animadores: com 3 quilos a menos (estou com 84,1kg), disposição levemente melhorada e a concentração melhor 50%. Pode parecer aos menos incautos que os resultados não foram, assim, tão bons, mas olhando nos detalhes (que contarei a seguir….) vocês verão que realmente obtive melhoras sensíveis.

Primeiro vamos falar da alimentação: apesar de não ter ingerido mais glúten, fugi da dieta nos finais de semana tomando algumas latinhas de cerveja – foram umas 3 latinhas de 269ml por final de semana. Pouco, é fato, mas ainda assim um consumo que deve ficar registrado. Nos cafés da manhã tenho feito o desjejum com 2 ou 3 fatias de queijo com presunto ou peito de peru + café com leite (com sucralose). Confesso que pensei que chegaria as 9:30 morrendo de fome mas, para minha surpresa, não foi o que observei. A fome começou a bater só as 11:30 e aqui podemos registrar um ganho significativo: meu apetite diminuiu significativamente.

Os almoços e jantares têm sido a base do bom e velho arroz, feijão, frango e salada. Sem exageros pois não tenho tido mais tanto apetite para aquele “pratinho de pedreiro”….

Aos finais de semana, ou batemos aquele churrascão ou eu fico na pseudo-massinha – aqui você pode gritar: MASSA TEM GLÚTEN!!! Tem, só que não: quando bate aquela vontade de massa, tenho comido macarrão de palmito com molho de shitake. Se você não conhece macarrão de palmito, te apresento na foto abaixo.

Palmito Pupunha em macarrão

Palmito Pupunha em macarrão

E o que mais tenho me admirado desta dieta sem glúten, é a disposição para o exercício: não é que não tivesse nenhuma disposição antes de ter cortado o glúten, mas agora, tenho motivação para sair e caminhar TODOS OS DIAS!!! Sei que este deve ser um dos principais motivos da perda de peso, mas, ainda assim, acredito que a dieta tem um papel fundamental.

Daqui uns quinze dias teremos mais novidades….

Existe Dieta para a Mente?

Durante o feriado da Páscoa ao navegar na internet, me deparei com um livro cujo título era demais intrigante: A Dieta da Mente, do Dr. David Perlmutter. Como gosto de livros com títulos não convencionais, decidi baixá-lo imediatamente para meu Kindle (se você não conhece leitores digitais, sugiro fortemente que dê uma olhadela no www.amazon.com.br).

Bom, ainda não finalizei o livro, mas o que li até agora me incomodou muito. Não quero fazer spoiler do livro mas, em resumo, existem muitas pessoas (mais de 50% da população) que são de certa forma “sensíveis” ao Glúten e este, em conjunto com uma dieta rica em carboidratos (base de nossa alimentação moderna), tem trazido diversos malefícios a saúde, em especial ao cérebro!

Não é questão de ser cético, mas este livro traz tanta informação que vai contra o Establishment que decidi checar as informações, inclusive com médicos e neurologistas da área –  o que pude constatar até agora é que tem lógica os argumentos do Dr. David e que, se a sua teoria realmente for confirmada, temos comido MUITO errado nos últimos séculos.

Bom, na dúvida, decidi entrar em uma dieta sem glúten desde a segunda feira, 06/04/15 e pretendo manter um pequeno diário acerca das possíveis mudanças percebidas em mim mesmo. So far, so good – 4 dias sem glúten, 0 kg perdidos e nenhuma mudança significativa.